Qual é o anticoncepcional ideal? Como escolher o seu? Tire todas suas dúvidas!

Qual é o anticoncepcional ideal? Como escolher o seu? Tire todas suas dúvidas!

Uma escolha natural para mulheres modernas e que desejam mais controle de seus corpos, o método anticoncepcional é, sem dúvida, uma escolha um tanto complexa, pois mexe com a natureza do corpo, envolve cumplicidade com o parceiro e, além do mais, pode fazer também a diferença na saúde da mulher, pois algumas formas de contracepção também previnem DSTs.

Vamos mostrar quais são os tipos de anticoncepcionais mais comuns, quais as vantagens e desvantagens em cada um deles e que tipo pode ser recomendado para você.

Qual o anticoncepcional ideal?

exemplos de anticoncepcionais

Isto depende de uma série de variantes, como idade, momento da vida, desejo ou não de filhos, além do desejo (ou necessidade) de usar ou evitar hormônios.

O uso de hormônios sintéticos como a pílula anticoncepcional pode trazer vantagens e desvantagens, dependendo do seu equilíbrio hormonal atual. Já a principal desvantagem deste tipo de anticoncepcional é que causa diversos desconfortos, e efeitos colaterais. Nestes casos, o ginecologista tem a palavra final, pois ele fará as medições necessárias.

Os anticoncepcionais não hormonais têm a vantagem de não mexer com o equilíbrio do corpo, dando maior liberdade e praticidade à mulher. Além disso, existem os internos e externos, que são recomendáveis a cada tipo de vida sexual.

A liberdade da mulher diante do anticoncepcional

Hoje em dia, a mulher é muito mais livre para viver sua vida sexual do que era antes, mas ainda existem preconceitos quando o assunto é proteger a mulher. Mas felizmente, a mulher tem opções de anticoncepcionais para garantir não só uma gravidez indesejada, mas também a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. O preservativo masculino, (a famosa camisinha) tem também sua versão feminina, que permite que a mulher sempre se proteja, independente do interesse do parceiro.

Especialmente quando você não tem parceiro fixo, é recomendável manter sempre um preservativo feminino em mãos, para o caso dele não quiser ou não tiver um masculino.

Caso você tenha se descuidado e tenha feito sexo sem proteção, existe sempre a possibilidade do anticoncepcional de emergência, a chamada pílula do dia seguinte. Como o próprio nome já diz, essas pílulas são só para emergências, pois elas bombardearão seu corpo com uma quantidade maciça de hormônios, o que pode trazer efeitos colaterais se usado com muita frequência.

Antes de começar a falar a respeito de cada tipo é importante ter em mente que a decisão por qual método anticoncepcional usar deve ser tomada pela mulher, assessorada adequadamente pelo seu médico, mas ainda assim não deve ser imposto nenhum tipo de procedimento. Afinal de contas, é do seu corpo que estamos falando.

Tipos de anticoncepcionais hormonais e contraindicações

Os anticoncepcionais hormonais são conhecidos por sua grande eficiência em evitar a gravidez, além de grande confiabilidade e vários tipos de aplicação. Embora também sejam conhecidos pela grande quantidade de problemas, contraindicações e efeitos adversos que causam.

A principal dificuldade destes anticoncepcionais é que, da mesma forma que o anabolismo por esteroides, ele altera as quantidades de hormônios no corpo para criar um ambiente desejado. No caso do anabolismo, aumentar o ganho de massa muscular, no caso do anticoncepcional, impossibilitar a fecundação do óvulo.

Tanto em um caso quanto no outro, existem consequências dentro do corpo pela manipulação dos hormônios, e os efeitos colaterais mais comuns, no caso dos anticoncepcionais são:

  • Sangramentos fora do período menstrual, mais comum nos primeiros meses de uso.
  • Falta de menstruação, que pode gerar alarmes falsos de gravidez.
  • Aumento de peso, causado pelo desequilíbrio hormonal.
  • Dor de cabeça, além da piora de sintomas de TPM.
  • Redução do desejo sexual
  • Riscos de trombose
  • Alterações de humor
  • Pode causar náuseas e tontura.

Dentro disso, existem algumas entre as diversas formas de usar hormônios para evitar a gravidez:

Pílula anticoncepcional

pílula como um anticoncepcionalUm dos métodos mais comuns e mais agressivos de anticoncepcionais hormonais, elas são tomadas diariamente e tendem a falhar quando seus ciclos não são respeitados.

A pílula é composta por dois hormônios, progesterona e estrogênio. E só deve ser utilizada sob a orientação de um profissional de saúde. A pílula anticoncepcional além de impedir a ovulação e assim a gravidez da mulher também é eficiente no controle do fluxo menstrual, combatendo os sintomas da TPM, controlando a acne, entre outros benefícios para saúde feminina. Alguns estudos ainda fazem uma relação da pílula com alguns tipos de cânceres, como o câncer do ovário e endométrio cuja esse método pode até mesmo reduzir os a incidência de ambos.

Apesar das vantagens, os anticoncepcionais orais podem proporcionar alguns efeitos colaterais, como já mencionamos acima.

Minipílula

minipílulaA minipílula diferentemente das pílulas anticoncepcionais comuns só possuem em sua composição  o hormônio progesterona. Ela por sua vez, além de inibir a ovulação, ainda provoca  o adensamento do muco cervical, evitando que os espermatozoides cheguem à trompa. A minipílula é considerada tão eficaz quanto a pílula, provocando menos efeitos colaterais. No entanto, um simples atraso ao tomá-la pode ser suficiente para que ela perca o efeito. Ou seja precisa de muito mais disciplina.

Anticoncepcional Injetável

anticoncepcional injetávelUma opção interessante para as mulheres que têm dificuldade de lembrar de tomar as pílulas é o anticoncepcional injetável. Por ser uma dose mensal, ou trimestral, a possibilidade de desconfortos e problemas de desequilíbrio hormonal é diminuída, embora os problemas em médio prazo sejam basicamente os mesmos.

Existem anticoncepcionais injetáveis compostos apenas pelo hormônio progesterona e outros combinados, com a progesterona e estrogênio. E eles podem ser administrados de forma intramuscular ou subcutânea. Vale ressaltar que a aplicação deve ser feita por um ginecologista ou enfermeira.

Os benefícios e efeitos colaterais desse método se assemelham muito aos da pílula anticoncepcional.

Adesivos anticoncepcionaismulher usando adesivo anticoncepcional

Os adesivos anticoncepcionais são uma ótima opção para quem quer um contraceptivo hormonal mas foge da agulha e não quer tomar comprimidos todos os dias.

Esse método consiste em basicamente um adesivo que deve ser aplicado sobre a pele e substituído por um novo a cada 7 dias. Após 3 semanas, a mulher deve fazer uma pausa de 1 semana para que ocorra a menstruação.

Esse adesivo geralmente é aplicado nos braços, na barriga, costas, nádegas.

Implantes hormonais

implante hormonal como anticoncepcionalEste é um método mais ostensivo para contracepção, e funciona da seguinte forma: um bastão de plástico composto pela forma sintética de progesterona (etonogestrel) é implantado debaixo da pele, geralmente na base do músculo do braço, e  libera hormônio na circulação sanguínea de forma bem lenta.

O efeito contraceptivo dele dura em média 3 anos e o valor para o implante pode chegar a custar cerca de R$700,00.

Anel vaginal

anel vaginalO anel vaginal é um método contraceptivo que consiste em um anel feito de silicone, flexível, que libera no organismo o hormônio progesterona e estrogênio de forma lenta.

Esse anel é inserido pela própria mulher e pode ficar introduzido na vagina por 3 semanas. Um novo anel pode ser colocado após uma semana de pausa.

Quais são os anticoncepcionais não hormonais?

Estes métodos possuem grande eficácia em evitar a gravidez e são mais amigáveis com o corpo da mulher, por evitar que a mulher precise bombardear seu corpo com hormônios artificiais. Desta forma, ela mantém sua liberdade e o funcionamento de seu corpo, além de alguns deles ainda prevenirem DSTS.

Estes são os anticoncepcionais mais usados:

Preservativoscamisinha

Também chamada de camisinha, são mais antigas do que acreditamos, já que existem alguns registros de métodos anticoncepcionais parecidos sendo usados no antigo Egito. Consiste em uma capa de plástico que evita que os fluidos sexuais (incluindo, nesse caso, o esperma) entrem em contato com o corpo da mulher. É também a única forma de se prevenir contra DSTS, como a AIDS e a gonorreia.

Existia certa resistência por partes dos homens em usar o preservativo masculino, e então foi criado o preservativo feminino, que ofereceu grande liberdade para as mulheres. A camisinha feminina é feita de borracha nitrílica e cobre toda a mucosa da vagina.

Diafragma

anticoncepcional diafragma Um método não tão usado, mas igualmente eficiente. O diafragma é uma peça emborrachada com um lado côncavo e o outro convexo, que é posicionada no canal vaginal no momento da relação sexual, protegendo a mulher e seu parceiro tanto de uma gravidez indesejada quanto de DSTS. Deve ser usado junto com espermicida e pode ser encontrado em diversos tamanhos.

Esponja vaginalesponja vaginal

A esponja vaginal cobre a entrada do útero, mas diferentemente do diafragma e de outros métodos contraceptivos, ela não protege a mucosa da vagina, servindo para proteger o organismo da mulher contra as doenças sexualmente transmissíveis.

A esponja pode permanecer dentro da vagina por até 30 horas.

Métodos anticoncepcionais intrauterinos

Essa forma de contracepção ganhou destaque nos últimos anos. Mulheres que querem parar de tomar pílula anticoncepcional vêm optando pelo DIU.

Dispositivo intrauterino (DIU)

diu como anticoncepcional intrauterinoO dispositivo intrauterino é um anticoncepcional extremamente eficiente, o DUI como é popularmente chamado, oferece uma das melhores respostas na questão contracepção. É um dispositivo de plástico em forma de T inserido dentro do útero da mulher e altera seu equilíbrio químico, tornando praticamente impossível qualquer fertilização de sucesso. Não é necessário nenhum cuidado especial depois da inserção, mas ele pode gerar sangramentos irregulares no princípio.

Existem dois tipos de DIU, o revestido de cobre e o DIU Mirena, revestido por hormônio progesterona. Depois de implantado, o dispositivo pode ficar no útero por 10 anos no caso no primeiro e 5 anos no segundo.

Esse método é muito usado por pessoas com parceiro sexual fixo, que precisam de uma proteção eficiente e que não exija nenhum tipo de rotina.

Anticoncepcional permanente, é uma boa opção?

métodos contraceptivos permanentes

Esse tipo de anticoncepcional esterilizam o homem ou a mulher, tornando eles inférteis.

É muito importante ter consciência que esse método só deve ser utilizado em último caso e de preferência por pessoas mais velhas que já tiveram filhos. Isso porque apesar da reversão ser possível é difícil de ser realizada e muitas vezes ter sucesso.

A esterilização não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Confira abaixo mais sobre eles.

Vasectomia

Esterilização permanente realizada nos homens. Trata-se de um procedimento cirúrgico, que corta o  ducto deferente, o mesmo responsável por transportar os espermatozoides, interrompendo assim a saída de espermatozoides no esperma ejaculado.

Esse procedimento não interfere na ereção, e não diminui a libido do homem.

Ligadura tubária

A laqueadura é um procedimento que funciona como um método anticoncepcional definitivo para as mulheres. Ele tem o objetivo de interromper o trajeto de ambas as trompas, impedindo que os espermatozoides cheguem ao óvulo.

Esse procedimento não interfere no ciclo menstrual da mulher.

Qual a eficácia dos métodos anticoncepcionais?

Antes de escolher o anticoncepcional ideal é necessário atentar-se à  taxa de eficácia de cada método.

O implante, vasectomia, o DIU, a ligadura tubária são considerados métodos com as maiores taxas de sucesso. O anticoncepcional injetável, a pílula, o adesivo e o anel vaginal apesar de apresentarem taxas elevadas de eficácia, dependem muito do paciente. Ou seja, se não usado de forma correta pode apresentar falhas.

A camisinha (masculina e feminina), o diafragma, a esponja apresentam taxas de sucesso, mas são difíceis de serem utilizadas corretamente. Já métodos alternativos como tabelinha, coito interrompido apresentam baixas taxas de eficácia e não são indicados para quem quer evitar a gravidez.

Confira e

De quem é a responsabilidade do anticoncepcional?

Não é exatamente acertado pensar que a contracepção é total responsabilidade da mulher. É importante, quando você tem um parceiro fixo, deixar claro qual o método anticoncepcional você prefere.

Se você não possui parceiro fixo, exija camisinha. É a forma mais eficiente de se proteger tanto de DSTS quanto de uma gravidez indesejada. Como garantia adicional, tenha uma camisinha masculina e uma feminina sempre com você, para que não existam desculpas para o uso.

Dentro destas vantagens e desvantagens que comentamos, também se deve colocar a vantagem principal dos preservativos: a prevenção de DSTs, que se tornam cada vez mais preocupantes em nossa sociedade.

E aí gostou do texto? Deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar com seus amigos em suas redes sociais!

💕 SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE 💕

 

Você Também Pode se Interessar

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Post Comment