Anticoncepcional: Como escolher o seu?

Anticoncepcional: Como escolher o seu?

Uma escolha natural para mulheres modernas e que desejam mais controle de seus corpos, o método anticoncepcional é, sem dúvida, uma escolha um tanto complexa, pois mexe com a natureza do seu corpo, envolve cumplicidade com o parceiro e, além do mais, pode fazer também a diferença na saúde da mulher, pois algumas formas de contracepção também previnem DSTs.

Vamos mostrar quais os tipos de anticoncepcionais mais comuns, quais as vantagens e desvantagens em cada um deles e que tipo pode ser recomendado para você.

Qual o anticoncepcional ideal?

Isto depende de uma série de variantes, como idade, momento da vida, desejo ou não de filhos, além do desejo (ou necessidade) de usar ou evitar hormônios.

O uso de hormônios sintéticos como anticoncepcional pode trazer vantagens e desvantagens, dependendo do seu equilíbrio hormonal atual. Nestes casos, o ginecologista tem a palavra final, pois ele fará as medições necessárias e, em alguns casos, o anticoncepcional hormonal também tem esta vantagem.

A principal desvantagem deste tipo de anticoncepcional é o quanto ele pode ser perigoso para as mulheres que tem seu equilíbrio hormonal, pois os hormônios sintéticos na corrente sanguínea podem fazer com que o corpo pare de produzir os hormônios naturalmente, o que causa diversos desconfortos, além de dificuldade futura de engravidar.

Os anticoncepcionais não hormonais têm a vantagem de não mexer com o equilíbrio do corpo, dando maior liberdade e praticidade à mulher. Além disso, existem os internos e externos, que são recomendáveis a cada tipo de vida sexual.

A liberdade da mulher.

Hoje em dia, a mulher é muito mais livre para viver sua vida sexual do que tinha antes, mas ainda existem preconceitos quando o assunto é assumir a responsabilidade quando o assunto é proteger a mulher.

Felizmente, a mulher tem opções de anticoncepcionais para garantir não só uma gravidez indesejada, mas também a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. O preservativo masculino, (a famosa camisinha) tem agora também sua versão feminina, que permite que a mulher sempre se proteja, independente do interesse do parceiro.

Especialmente quando você não tem parceiro fixo, é recomendável manter sempre um preservativo feminino em mãos, para o caso dele não quiser ou não tiver um masculino.

Outro detalhe importante também é evitar pílulas e outros anticoncepcionais enquanto estiver amamentando, pois os hormônios são transmitidos pelo leite e vão afetar negativamente o desenvolvimento do bebê.

Caso você tenha se descuidado e tenha feito sexo sem proteção, existe sempre a possibilidade do anticoncepcional de emergência, a chamada pílula do dia seguinte. Como o próprio nome diz, estas pílulas são só para emergências, pois elas bombardearão seu corpo com uma quantidade maciça de hormônios, o que pode trazer efeitos colaterais se usado com muita frequência.

Dentro destas vantagens e desvantagens que comentamos, também se deve colocar a vantagem principal dos preservativos: a prevenção de DSTs, que se tornam cada vez mais preocupantes em nossa sociedade.

Além disso, a comunicação e o amor próprio devem estar em dia também e, se você se sentir desconfortável ou incomodada, não faça nada que você não queira.

 

Recomendamos para você:

Post Comment