Anticoncepcional: Quais as opções hormonais?

Anticoncepcional: Quais as opções hormonais?

Fechando nossa série de posts sobre anticoncepcionais, vamos falar de todos os prós e contras dos vários tipos de anticoncepcionais hormonais, as vantagens e desvantagens que eles impõem às mulheres, além de algumas novidades a respeito deste tipo de medicação.

Antes de começar a falar a respeito de anticoncepcionais hormonais, é importante ter em mente que a decisão por qual método anticoncepcional usar deve ser tomada pela mulher, assessorada adequadamente pelo seu médico, mas ainda assim não deve ser imposto nenhum tipo de procedimento. Afinal de contas, é do seu corpo que estamos falando!

Tipos de anticoncepcionais hormonais e contra indicações.

Os anticoncepcionais hormonais são conhecidos por sua grande eficiência em evitar a gravidez, além de grande confiabilidade e vários tipos de aplicação. Embora também sejam conhecidos pela grande quantidade de problemas, contra indicações e efeitos adversos que causem.

A principal dificuldade destes anticoncepcionais é que, da mesma forma que o anabolismo por esteroides, ele altera as quantidades de hormônios no corpo para criar um ambiente desejado. No caso do anabolismo, aumentar o ganho de massa muscular, no caso do anticoncepcional, impossibilitar a fecundação do óvulo.

Tanto em um caso quanto no outro, existem consequências dentro do corpo pela manipulação dos hormônios, e os efeitos colaterais mais comuns, no caso dos anticoncepcionais são:

  • Sangramentos fora do período menstrual, mais comum nos primeiros meses de uso.
  • Falta de menstruação, que pode gerar alarmes falsos de gravidez.
  • Aumento de peso, causado pelo desequilíbrio hormonal.
  • Dor de cabeça, além da piora de sintomas de TPM.

Dentro disto, existem algumas entre as diversas formas de usar hormônios para evitar a gravidez:

Pílulas: Um dos métodos mais comuns e mais agressivos de anticoncepcionais hormonais, elas são tomadas diariamente e tendem a falhar quando seus ciclos não são respeitados. Tem a vantagem de ter a interrupção mais fácil. Possui diversas concentrações e tipo, que devem ser indicadas pelo ginecologista.

Injetáveis: Uma opção interessante para as mulheres que tem dificuldade de lembrar-se de tomar as pílulas. Por ser uma dose mensal, a possibilidade de desconfortos e problemas de desequilíbrio hormonal é diminuída, embora os problemas em médio prazo sejam basicamente os mesmos. Geralmente não deve ser interrompido com a mesma facilidade que as pílulas, pela maior concentração dos hormônios.

Implantes hormonais: Este é um método mais ostensivo para contracepção, que tem grande dificuldade de ser revertida, por ser uma aplicação sub-dérmica (pó baixo da pele, na base do músculo do braço). Este tipo de anticoncepcional deve ser evitado, a não ser que se deseje dar espaçamento entre gravidez ou em um período que a mulher realmente não deseja per filhos.

Novidades e promessas para o futuro.

Como este é um assunto muito reco0rrente, e4xistem sempre novidades a respeito. Pesquisas avaliando os perigos de modificar a estrutura hormonal do corpo da mulher e outras possibilidades de contracepção hormonal, inclusive masculina, tornam este assunto uma constante de novidades.

Caso exista alguma grande novidade, com certeza avisaremos vocês. Além disso, é sempre importante lembrar que nenhum destes métodos protege contra DSTs.

 

Conheça Também o Nosso Canal no Youtube


1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Post Comment