Transição capilar: O que é? Quais são suas fases? Pode mesmo aumentar a autoestima? Respondemos tudo!

Transição capilar: O que é? Quais são suas fases? Pode mesmo aumentar a autoestima? Respondemos tudo!

Muitas mulheres crespas e cacheadas alisaram os cabelos por muito tempo. Durante a última década a moda exigia cabelos lisinhos sem nenhuma onda. Entretanto, com o passar dos anos, esse pensamento foi mudando.

Hoje em dia, os cabelos crespos e cacheados ganharam força e valorização. Além disso, as mulheres se empoderaram das suas belezas naturais e perceberam que para ser bonita, não é necessário se submeter a todos os malefícios do formol. Assim, a transição capilar vem sendo muito discutida. Saiba o que ela significa, como funciona, e mais informações!

Afinal, o que é a transição capilar?

transição capilar

A transição capilar é o processo durante o qual o cabelo se adapta a textura natural dos fios, conforme ele cresce sem o alisamento químico.

Depois de passar por todo o processo, o cabelo volta ao seu formato e textura naturais, com os fios renovados e maravilhosos! Usar o cabelo natural é um processo de libertação e aceitação muito importante.

Quais são as fases da transição?

A transição pode demorar de seis meses a um ano, a depender do tipo de cabelo e do grau de danificação do processo de alisamento.

A primeira fase da transição começa no momento em que a pessoa decide encerrar os alisamentos químicos.

A segunda fase é a do crescimento dos fios naturais. Essa fase é muito importante para o processo de transição, e, com certeza, a mais complicada, uma vez que seu cabelo ficará com duas texturas e dois formatos bem diferentes.

Naturalmente, esse processo não deixa o cabelo bonito. Mas calma! Essa fase passa rápido e o resultado valerá a pena para o resto da vida.

Veja a seguir dicas importantíssimas para cuidar da melhor forma do seu cabelo durante essa segunda fase.

Primeiro, a hidratação e nutrição!

Os cabelos com química ficam danificados e quebradiços. Essa danificação atrasa o crescimento dos fios naturais.

Hidrate seu cabelo, se puder, duas vezes por semana. Na primeira vez, faça a umectação com um óleo vegetal para nutrir, como óleo de coco ou azeite de oliva extra virgem.

Você pode dormir com o cabelo umectado, e lavar bastante no dia seguinte. No outro dia da semana, faça a hidratação tradicional com uma máscara a sua escolha, logo após o banho.

Se não for possível fazer a hidratação duas vezes por semana, faça uma vez só, alternando o uso da máscara com o óleo vegetal em cada semana.

Ao longo da segunda fase, de crescimento, a diferença entre a raiz natural e as pontas alisadas vai ficando mais evidente. Nessa etapa, a fitagem é sua melhor amiga!

Esse processo consiste em cachear artificialmente as pontas para deixar o seu cabelo mais homogêneo e mais parecido com o resultado final.

Para fazer a fitgaem, separe o seu cabelo mecha a mecha. Com uma boa quantidade de creme para modelar cachos, amasse a mecha de baixo para cima, fazendo ondas no cabelo.

Outra opção é enrolar o cabelo formando cachos com bastante creme.

O que é e quando recorrer ao big chop?

Essa expressão representa o corte do cabelo que retira todos os fios alisados.

Após o corte, o cabelo se revela em toda sua beleza e curvatura natural, sendo um momento muito importante e revelador!

Algumas mulheres resolvem cortar o cabelo bem curto, no início do crescimento, e outras mulheres ficam mais tempo na fase dois da transição.

Isso não é uma regra! Você deve escolher o momento de corte que mais se adaptar a você!

Cortes para quem está passando pela transição capilar

Se você não quiser optar pelo big chop, pode recorrer a esses tipos de cortes que são ótimos.

Primeiro, o corte em camadas!

Esse tipo de corte é fundamental para redistribuir o volume crescente na raiz por todo o cabelo, e, assim, conseguir mais harmonização para o cabelo.

Outro corte é o chamado “long-bob”. Esse corte é relativamente curto. Ele vai até a altura dos ombros, com a parte da frente do cabelo mais longa que a de trás.

Esse corte é prático e facilita os cuidados. Além disso, modela melhor o rosto, pois a frente fica mais pesada e menos volumosa.

A nossa última dica é o “shag-hair”. Esse estilo traz muito movimento para o cabelo e distribui o volume com maior intensidade, uma vez que são feitas mais camadas e maior diferença de comprimento entre elas.

Além de ser prático, esse corte é ideal para aqueles casos onde a raiz natural se diferencia muito das pontas alisadas.

Como a transição capilar pode aumentar minha autoestima?

A transição capilar é muito além de um procedimento estético. Esse momento da vida, principalmente por ser um processo demorado, traz consigo uma importante revelação de auto conhecimento.

Como é um período relativamente demorado, nós passamos a cuidar mais dos nossos cabelos, com muito mais atenção. Nesse processo, descobrimos lentamente como nosso cabelo de fato é.

Entendemos qual sua textura, qual tipo de nutrição e hidratação é melhor, e descobrimos também diversas finalizações e penteados que nos deixam deslumbrantes.

Com essa aproximação, descobrimos que nosso cabelo tem um potencial muito maior do que o que foi difundido pelo padrão de beleza. Com isso, conhecemos a nós mesmas e nos aceitamos.

A transição é um empoderamento. É quando percebemos que somos bonitas e temos potencial estético enorme, contrariando tudo que nos foi ensinado durante a vida.

Saiba mais sobre esse processo no vídeo abaixo.

E aí gostou do texto? Não esqueça de deixar seu comentário e compartilhar em suas redes sociais!

💕 SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE 💕

 

Você Também Pode se Interessar

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Post Comment